Frases e Pensamentos de Rousseau

Frases de Rousseau,Mensagens de Rousseau,Pensamentos de Rousseau, Reflexões sobre Rousseau, Citações de Rousseau,Poemas,Poesias

ROUSSEAU

58 resultados encontrados

O Homem é bom por natureza
( ROUSSEAU )


Todo o mal vem da fraqueza
( ROUSSEAU )


O maior passo para o bem é não fazer o mal
( ROUSSEAU )


Rico ou pobre, todo preguiçoso é um cretino.
( ROUSSEAU )


Para conhecer os homens é preciso vê-los atuar
( ROUSSEAU )


As injúrias são as razões dos que não tem razão
( ROUSSEAU )


A paciência é amarga, mas seus frutos são doces
( ROUSSEAU )


Nossa curiosidade é proporcional a nossa cultura
( ROUSSEAU )


A razão forma o ser humano, o sentimento o conduz
( ROUSSEAU )


O homem de bem é um atleta a quem dá prazer lutar nu
( ROUSSEAU )


A juventude é o tempo ideal para o estudo da sabedoria
( ROUSSEAU )


As consolações indiscretas agravam as aflições violentas
( ROUSSEAU )


Sou escravo pelos meus vícios e livre pelos meus remorsos
( ROUSSEAU )


Bastará nunca sermos injustos para estarmos sempre inocentes?
( ROUSSEAU )


Uma parte dos homens age sem pensar, e a outra pensa sem agir
( ROUSSEAU )


O homem nasceu livre, e em todos os lugares ele está acorrentado
( ROUSSEAU )


É muito difícil pensar nobremente quando se pensa apenas em viver
( ROUSSEAU )


As boas acções elevam o espírito e predispõem-no a praticar outras
( ROUSSEAU )


Não é imprudente que se tem o coração moço quando o corpo já não o é
( ROUSSEAU )


Maquiavel, fingindo dar lições aos Príncipes, deu grandes lições ao povo
( ROUSSEAU )


O homem verdadeiramente livre apenas quer o que pode e faz o que lhe agrada
( ROUSSEAU )


Quem enrubesce já é culpado; a verdadeira inocência não tem vergonha de nada
( ROUSSEAU )


A melhor maneira de pedir a Deus é tornarmo-nos merecedores do que desejamos
( ROUSSEAU )


Felicidade: uma polpuda conta bancária, um bom cozinheiro e uma boa digestão
( ROUSSEAU )


O mundo da realidade tem seus limites. O mundo da imaginação não tem fronteiras
( ROUSSEAU )


A alma resiste muito mais facilmente à dor profunda do que à tristeza prolongada
( ROUSSEAU )


Só entende o valor do silêncio quem tem necessidade de calar para não ferir alguém
( ROUSSEAU )


Se tirardes de vosso coração o amor ao belo, terareis dele todo o encanto de viver
( ROUSSEAU )


As mulheres constituem a metade mais bela do mundo
( Frases e Pensamentos de Jean-Jacques Rousseau)


As mulheres louvam de muita boa vontade os que as admiram
( Frases e Pensamentos de Jean-Jacques Rousseau)


Dinheiro semeia dinheiro e, o primeiro franco é, muitas vezes, mais difícil de ganhar que o segundo milhão
( ROUSSEAU )


Se houvesse um povo de deuses, seria governado democraticamente, mas aos homens não convém tão perfeito governo
( ROUSSEAU )


A fingida caridade do rico não passa, da sua parte, de mais um luxo; ele alimenta os pobres como cães e cavalos
( ROUSSEAU )


Com 16 anos, o adolescente conhece o sofrimento porque já sofreu, porém mal sabe que outros seres sofrem também.
( ROUSSEAU )


A espécie de felicidade de que preciso não é tanto a de fazer o que eu quero, mas a de não fazer o que eu não quero
( ROUSSEAU )


Se há escravos por natureza, é porque os há contra a natureza; a força formou os primeiros, e a covardia os perpetuou
( ROUSSEAU )


Se houvesse uma nação de deuses, seria governada democraticamente, mas um sistema tão perfeito não é adequado para os homens
( ROUSSEAU )


Não há nada que esteja menos sob o nosso domínio que o coração, e, longe de podermos comandá-lo, somos forçados a obedecer-lhe
( ROUSSEAU )


As mulheres não foram feitas para a fuga. Quando correm é porque desejam ser perseguidas
( Frases e Pensamentos de Jean-Jacques Rousseau)


A espada gasta a bainha, costuma dizer-se. Eis o que aconteceu comigo. As minhas paixões fizeram-me viver, e as minhas paixões mataram-me
( ROUSSEAU )


A verdadeira mãe e dona-de-casa, longe de ser uma mulher de sociedade, é tão-somente uma reclusa do lar como uma religiosa em seu convento
( ROUSSEAU )


O homem nasceu livre,e em todos os lugares ele está acorrentado.
( Frases e Pensamentos de Jean-Jacques Rousseau) Mensagem sobre Liberdade


O esquecimento da religião conduz ao esquecimento dos deveres do homem.
( Frases e Pensamentos de Jean-Jacques Rousseau ) Mensagem sobre Religião


Sempre acreditei que o bem era apenas o belo posto em ação, que um dependia intimamente do outro, e que ambos tinham origem na natureza bem ordenada
( ROUSSEAU )


A unidade de todas as coisas vivas existe neste mundo onde todo o mundo e todas as coisas buscam silenciosamente a Deus. Somente os ateus vêem um silêncio eterno
( ROUSSEAU )


Dinheiro semeia dinheiro e o primeiro franco é,muitas vezes,mais difícil de ganhar que o segundo milhão.
( Frases e Pensamentos de Jean-Jacques Rousseau) Mensagem sobre Dinheiro


Há no fundo das almas um precipício inato de justiça e de virtude, com o qual nós julgávamos as nossas ações e as dos outros como boas ou más; e é a este princípio que dou o nome de consciência
( ROUSSEAU )


Haverá no mundo espetáculo mais comovente e respeitável que o de uma mãe cercada de seus filhos, dirigindo os trabalhos dos seus criados, buscando para o marido uma vida mais feliz e governando habilmente a casa?
( ROUSSEAU )


A propriedade privada introduz a desigualdade entre os homens, a diferença entre o rico e o pobre, o poderoso e o fraco, o senhor e o escravo, até a predominância do mais forte. O homem é corrompido pelo poder e esmagado pela violência
( ROUSSEAU )


"Cada idade tem as suas inclinações,mas o homem é sempre o mesmo. Aos 10 anos é levado por doces; aos 20 por uma amante; aos 30 pelo prazer; aos 40 pela ambição; aos 50 pela avareza."
( Frases e Pensamentos de J.J.Rousseau) Mensagem sobre Idade


Como quer que seja, não se pode negar que Adão fosse soberano do mundo, como Robinson o foi de sua ilha, porque foi o único que a habitou: uma coisa era muito cômoda nesse império! O monarca, firme em seu trono, não temia rebeliões nem guerras ou conspiradores
( ROUSSEAU )


A compaixão é um sentimento natural que, ao moderar a violência do amor pelo próprio ego em cada indivíduo, contribui para a preservação de toda a espécie. É ela que nos impele a consolar imediatamente aqueles que estão sofrendo sem que tenhamos pensado sobre isso antes
( ROUSSEAU )


A Moderação é o Caminho para a Felicidade( J. J. ROUSSEAU )

Se a princípio a profusão e a variedade de diversões parecem contribuir para a
felicidade, se a uniformidade de uma vida igual parece a princípio enfastiante,
considerando-se melhor, percebe-se, pelo contrário, que o hábito mais doce da
alma consiste numa moderação de gozo que deixa pouco espaço ao desejo e ao
desgosto.


O primeiro que tendo cercado um terreno se lembrou de dizer: "Isto é meu", e encontrou pessoas bastante simples para o acreditar, foi o verdadeiro fundador da sociedade civil. Quantos crimes, guerras, assassínios, misérias e horrores não teria poupado ao gênero humano aquele que, arrancando as estacas ou tapando os buracos, tivesse gritado aos seus semelhantes: "Livrai-vos de escutar esse impostor; estareis perdido se esquecerdes que os frutos são de todos, e a terra de ninguém"
( ROUSSEAU )


Não há Felicidade Solitária( J. J. ROUSSEAU )

É a fraqueza do homem que o torna sociável; são as nossas mi­sérias comuns que
levam os nossos corações a interessar-se pela humanidade: não lhe deveríamos
nada, se não fôssemos homens. Todos os afectos são indícios de insuficiência: se
cada um de nós não tivesse necessidade dos outros, nunca pensaria em unir-se a
eles. Assim, da nossa própria enfermidade, nasce a nossa frágil fe­licidade. Um
ser verdadeiramente feliz é um ser solitário; só Deus goza de uma felicidade
absoluta; mas qual de nós faz uma ideia do que isso seja? Se algum ser
imperfeito se pudesse bastar a si mes­mo, de que desfrutaria ele, na nossa
opinião? Estaria só, seria mi­serável. Não posso acreditar que aquele que não
precisa de nada possa amar alguma coisa: não acredito que aquele que não ama
na­da se possa sentir feliz.


Entendimento Apaixonado( J. J. ROUSSEAU )

Mau grado o que dizem os moralistas, o entendimento humano deve muito às
paixões, que, de comum acordo, também lhe devem muito: é pela sua actividade que
a nossa razão se aperfeiçoa; só procuramos conhecer porque desejamos gozar; e
não é possível conceber porque aquele que não tivesse desejos nem temores se
desse ao trabalho de raciocinar. As paixões, por sua vez, originam-se a partir
das nossas necessidades, e o seu progresso dos nossos conhecimentos; porque só
podemos desejar ou temer coisas segundo as ideias que temos delas, ou pelo
simples impulso da natureza; e o homem selvagem, privado de toda a sorte de
luzes, só experimenta as paixões dessa última espécie; os únicos bens que
conhece no universo são a sua nutrição, uma fêmea e o repouso; os únicos males
que teme são a dor e a fome. Digo a dor, e não a morte; porque jamais o animal
saberá o que é morrer; e o conhecimento da morte e dos seus terrores foi uma das
primeiras aquisições que o homem fez afastando-se da condição animal.


O Limite Saudável do Amor por Nós Próprios( J. J. ROUSSEAU )

O amor por nós mesmos, que só a nós diz respeito, sente-se satis­feito quando as
nossas verdadeiras necessidades ficam satisfeitas; mas o amor-próprio - que se
pretende comparar com ele - nun­ca se sente satisfeito nem o poderia estar,
porque esse sentimen­to, que nos leva a preferirmo-nos aos outros, também exige
que os outros nos prefiram a eles próprios; ora isso é impossível. Eis co­mo as
paixões suaves e afectuosas têm origem no amor por si pró­prio, e como as
paixões de ódio e de ira provêm do amor-próprio. Assim, o que torna o homem
essencialmente bom é o facto de ter poucas necessidades e de pouco se comparar
com os outros; o que o torna essencialmente mau é ter muitas necessidades e
preo­cupar-se muito com a opinião. Sobre este princípio, é fácil ver co­mo se
podem dirigir - para o bem ou para o mal - todas as pai­xões das crianças e dos
homens. É verdade que, como não podem viver sempre sós, dificilmente poderão
viver sempre bons: e esta dificuldade aumentará, necessariamente, com o
alargamento das suas relações; e é nisso, sobretudo, que os perigos da sociedade
nos tornam a arte e os cuidados mais indispensáveis para prevenir­ - no coração
humano - a depravação originada pelas suas novas ne­cessidades.


Desigualdade Natural e Desigualdade Institucional( J. J. ROUSSEAU )

É fácil de ver que, entre as diferenças que distinguem os homens, muitas passam
por naturais, quando são unicamente a obra do hábito e dos diversos géneros de
vida adoptados pelos homens na sociedade. Assim, num temperamento robusto ou
delicado, a força ou a fraqueza que disso dependem, vêm muitas vezes mais da
maneira dura ou efeminada pela qual foi educado do que da constituição primitiva
dos corpos. Acontece o mesmo com as forças do espírito, e a educação não só
estabelece a diferença entre os espíritos cultivados e os que não o são, como
aumenta a que se acha entre os primeiros à proporção da cultura; com efeito,
quando um gigante e um anão marcham na mesma estrada, cada passo representa uma
nova vantagem para o gigante. Ora, se se comparar a diversidade prodigiosa do
estado civil com a simplicidade e a uniformidade da vida animal e selvagem, em
que todos se nutrem dos mesmos alimentos, vivem da mesma maneira e fazem
exactamente as mesmas coisas, compreender-se-á quanto a diferença de homem para
homem deve ser menor no estado de natureza do que no de sociedade; e quanto a
desigualdade natural deve aumentar na espécie humana pela desigualdade de
instituição.
Mas, quando a natureza afectasse, na distribuição dos seus dons, tantas
preferências como se pretende, que vantagem os mais favorecidos tirariam disso,
com prejuízo dos outros, num estado de coisas que não admitiria quase nenhuma
espécie de relações entre eles? Onde não há amor, de que servirá a beleza? De
que serve o espírito a pessoas que não falam, e a astúcia às que não têm
negócios? Ouço sempre repetir que os mais fortes oprimirão os fracos. Mas, que
me expliquem o que querem dizer com a palavra opressão. Uns dominarão com
violência, outros gemerão sujeitos a todos os seus caprichos. Eis, precisamente,
o que se observa entre nós; mas, não vejo como se poderia dizer o mesmo dos
selvagens, a quem seria dificílimo fazer perceber o que é servidão e dominação.
Um homem poderá apoderar-se dos frutos colhidos por outro, da caça que o outro
matou, do antro que lhe servia de asilo; mas, como poderá conseguir fazer-se
obedecer? E quais poderiam ser as cadeias da dependência entre homens que não
possuíam nada? Se me expulsam de uma árvore, estou livre para ir para outra; se
me atormentam num lugar, quem me impedirá de passar para outro? Se encontro um
homem de força muito superior à minha, e, além disso, muito depravado, muito
preguiçoso e muito feroz, para me constranger a prover à sua subsistência
enquanto ele permanece ocioso, é preciso que ele se resolva a não me perder de
vista um só instante, que me deixe amarrado com grande cuidado enquanto dorme,
de medo que eu escape ou que o mate; isto é, fica obrigado a se expor
voluntariamente a um trabalho muito maior do que o que quer evitar, e do que o
que me dá a mim mesmo. Depois de tudo isso, a sua vigilância relaxa-se por um
momento, um barulho imprevisto fá-lo voltar a cabeça: dou vinte passos na
floresta, os meus ferros quebram-se, e nunca mais me tornará a ver.